nova geração da Amarok. Depois de vários teasers, eis que a picape média surge completamente renovada. Já como modelo 2023, o nova Amarok terá produção conjunta com a Ford R" /> nova geração da Amarok. Depois de vários teasers, eis que a picape média surge completamente renovada. Já como modelo 2023, o nova Amarok terá produção conjunta com a Ford R" /> Volkswagen revela nova Amarok feita sobre a Ford Ranger; veja as fotos - NX Motors

Volkswagen revela nova Amarok feita sobre a Ford Ranger; veja as fotos

Visual


Como a própria Volkswagen fez questão de informar antes da apresentação oficial, a nova Amarok mistura elementos da Ranger e dos próprios irmãos da marca. A dianteira, por exemplo, tem barras na grade, como no Taos. Contudo, diferentemente do SUV, não são iluminadas por LEDs. Na picape, há duas barras cromadas que vão de uma ponta a outra da carroceria - uma por cima, outra por baixo dos faróis, que têm a tecnologia IQ.Light.


Nas laterais, as caixas de rodas com formato "quadrado" lembram a geração anterior. As rodas têm entre 17" (aço) e 21" (liga leve). Já a parte de trás ficou original. Apesar de, inevitavelmente, as picapes optarem por lanternas verticais, a Amarok tem formato diferente. Na tampa, o nome da picape vai impresso em baixo relevo e com letras garrafais.


Já do lado de dentro, a nova Amarok (que tem cabines simples e dupla), de fato pegou emprestado o sistema multimídia SYNC 4, da Ford. Mas modificou e tem opções de 10" ou 12". O quadro de instrumentos também é digital de 8" ou 12" no topo.


O volante, no entanto, é igual ao do Nivus - com as devidas proporções. Já os botões que ficam abaixo da tela central lembram os modelos da Peugeot. Em síntese, há mais de 20 sistemas de assistência à condução. Controle de cruzeiro adaptativo, leitor de placas de trânsito e câmera de ré, por exemplo, estão no pacote.


 


Gama de motores


A motorização da Amarok - que tem 80 cm de capacidade de submersão (antes, 50 cm) - vem com novidades. São quatro motores a diesel e um a gasolina. Tudo depende do mercado. Alguns, têm propulsores de origem Volkswagen, outros são Ford. O mais básico trata-se de um 2.0 turbodiesel com quatro cilindros e 148 cv. Dessa forma, há uma configuração modificada para 170 cv. Tem, ainda, o biturbo, com até 40 cv extras, indo a 210 cv.


O catálogo da Amarok tem também motor 3.0 V6 TDI no topo da gama - com até 250 cv. Já a especulada versão híbrida plug-in, pelo menos até agora, não foi cogitada. Tampouco a variante puramente elétrica - possível, devido à plataforma eletrificada da Ranger.


Potência extra


Assim, sem motor sustentável, resta apelar para a gasolina. Nesse sentido, alguns mercados receberão o 2.3 EcoBoost (origem Ford) com turbo e potência de 302 cv. Já a gama de câmbios fica dividida entre manual de 6 marchas ou automática de 10 marchas. Esta última, portanto (usada no Ford Mustang), substitui a caixa de 8 velocidades.


A Volkswagen Amarok conta, ainda, com mais comodidade em termos de tração. A 4Motion tem opções 4x4 ou integral permanente. Assim, por meio do seletor eletrônico, faz-se possível tracionar as quatro rodas a todo o momento. Exemplares com tração traseira também estarão à venda em alguns mercados. A capacidade de carga fica em 1.160 kg. No total, há cinco versões de acabamento. Além da básica, tem a Life, Style, PanAmericana e Aventura.

  • Fonte: Jornal do Carro /
  • Autor: Vagner Aquino /
  • Data: 08 julho 2022
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS