Teste: Novo Ford Bronco Sport acelera com virilidade e é osso duro no off-road

Ao menos é o que diz a Ford. O novo Bronco Sport, agora na sua 6ª geração, vem concorrer com modelos como Audi Q3, BMW X1 e Land Rover Discovery Sport. Mais especificamente com o último SUV, da marca inglesa. Isso porque o foco do utilitário da montadora norte-americana é o 4×4. Por isso, o modelo chega de início só na versão topo de linha Wildtrak, com acessórios de série para a prática do fora-de-estrada, como ganchos frontais.


Estilo Bronco de ser


Naturalmente, esta nova geração do Bronco tem forte inspiração no passado. O design do SUV é bem distinto, com linhas retangulares e verticais. A dianteira é marcada pela grade e os faróis, que são unidos e formam quase uma peça única. Um detalhe diferente é o nome Bronco com tipografia própria no centro da grelha. Mesmo atrás, é a alcunha do utilitário é que aparece em destaque. Dessa forma, o SUV tem apenas um escudo da Ford no canto esquerdo da tampa.


al como ocorre em modelos da Jeep, o Bronco Sport traz vários “easter eggs”, que são detalhes discretos que remetem às gerações antigas. O símbolo, por sinal, é um cavalo da raça Bronco, que é difícil de ser domado. O equino pronto a dar um coice, com as patas traseiras para cima, está por todo o veículo. Entretanto, o jeito Bronco de ser é apenas imagem, pois o SUV da Ford vem com tecnologias modernas que tornam mais fácil a vida do condutor no 4×4.


Ainda sobre o design, o estilo quadradão do utilitário segue pelas laterais, que não deixam dúvidas quanto à sua capacidade fora-de-estrada. O Bronco tem 223 milímetros de altura em relação ao solo, além de grandes ângulos de entrada e saída (30,4° e 33,1°, respectivamente). Sua capacidade de imersão é de 600 mm e as rodas de 17 polegadas na cor grafite calçam pneus Pirelli Scorpion todo-terreno (225/65). Na traseira, as lanternas são contornadas por LEDs.


Cabine aventureira


A versatilidade é um ponto-forte no novo Bronco Sport, sobretudo na versão Wildtrak. A lista de acessórios de fábrica é grande, e incluí até uma bandeja que divide o porta-malas de 580 litros em duas partes, e serve até de mesa em acampamentos. Há uma tomada de 110 Volts no compartimento que permite ligar, por exemplo, uma cafeteira. O padrão é o norte-americano. Já a tampa permite abrir o vidro do vigia de forma independente, e tem LEDs direcionais para iluminar passeios noturnos.


Outro item interessante é o tapete emborrachado que cobre o assoalho. Ali também há ganchos nas laterais para pendurar garrafas e outros equipamentos, e os bancos traseiros podem ser rebatidos, abrindo espaço para até 1.472 litros, o que permite levar objetos maiores. O modelo ainda tem barras longitudinais no teto para carregar bicicletas e até caiaques. Por fim, o Bronco Sport oferece uma capacidade de reboque de 900 kg, mesmo sem um tradicional motor a diesel.


Para o condutor, o que se sobressai são as novas tecnologias de assistência à condução e de conectividade. O painel tem a parte superior macia ao toque e traz duas telas, uma de 7 polegadas no quadro de instrumentos atrás do volante, outra de 8 polegadas para a multimídia Sync 3, que conta ainda com sistema de som premium da marca Bang & Olufsen, com 10 alto-falantes, subwoofer e 1.000 Watts de potência. Para a comodidade, há recursos como carregador de celular sem fio (por indução).


O acabamento não chega ao nível dos Land Rovers, porém é caprichado, incluindo couro camurçado nos bancos. É que o Bronco Sport aposta tudo nas tecnologias de condução. Há, por exemplo, sistema de frenagem autônoma com detector de pedestres, e controle de cruzeiro adaptativo com função Stop&Go, que acelera e freia sozinho acompanhando o tráfego. Em conectividade, a multimídia traz o Ford Pass, com localização e até partida remota pelo celular.


Mecânica a gasolina surpreende


Para um SUV 4×4, não dispor de motor a diesel pode deixar muita gente desconfiada. Mas a verdade é que o Bronco Sport não terá problema de falta de força. Isso porque o utilitário vem do México com o motor 2.0 turbo Ecoboost de injeção direta de gasolina, que já equipou o sedã Fusion. São 240 cv de potência e um torque pesado de 38 mkgf, maior, por exemplo, do que os 35,7 mkgf de torque do motor 2.0 turbo diesel do Jeep Compass.


A vantagem do motor a gasolina, dessa forma, se faz notória nos números de desempenho sobre o asfalto. Segundo a Ford, o novo SUV arranca de zero em 100 km/h em apenas 8 segundos. Nesse sentido, ajuda o seu peso reduzido com o uso de alumínio, presente, por exemplo, nos braços da suspensão dianteira. O câmbio automático de 8 marchas com paddle-shifters no volante também faz trocas dinâmicas, sobretudo no modo esportivo.


Veia off-road é o ponto-forte


Por sinal, o Bronco oferece um programa com 7 diferentes ajustes eletrônicos. Além dos modos Eco, Normal e Esportivo, o SUV tem 4 configurações dedicadas ao off-road. São os modos Areia, Escorregadio, Lama e Terra, e o extremo Rock Crawl (rocha). Também é possível personalizar esses ajustes, que alteram parâmetros da direção, transmissão e motor, e do controle de estabilidade. O SUV tem até controle de cruzeiro off-road, que maximiza a tração em rampas.


Outros dois recursos que não poderiam faltar no Bronco Sport são a capacidade de imersão, que chega a 600 milímetros, bem como o bloqueio do diferencial traseiro, que permite desacoplar a tração 4×4. Ou seja, em velocidade constante e com o modo Eco ligado, o SUV desacopla o 4×4 e trabalha com a tração apenas dianteira, para, assim, poupar combustível.


Voltando ao off-road, um item bem legal é a câmera frontal de 180º, que permite visualizar obstáculos logo à frente. Nos modos Areia, Lama e Rocha, essa câmera liga automaticamente. É com esse arsenal off-road que o Bronco Sport pretende, assim, encarar ninguém menos que o Land Rover Discovery Sport. Porém, com o apelo do custo/benefício, já que o SUV da Ford vai custar menos do que o inglês, e terá lista de equipamentos bem mais sofisticada.


Em nosso primeiro contato, surpreendeu, portanto, a capacidade de aceleração do Bronco Sport na pista asfalto do campo de provas da Ford em Tatuí, no interior de São Paulo. Bem como a desenvoltura do utilitário no off-road pesado. Muito embora seja provável que os futuros donos nem utilizem todo o seu potencial aventureiro.

  • Fonte: Jornal do Carro /
  • Autor: Ford/Divulgacao /
  • Data: 21 maio 2021
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS