Chevrolet Tracker" /> Chevrolet Tracker" /> Contagem regressiva: Honda vai lançar novo HR-V em 2 de agosto - NX Motors

Contagem regressiva: Honda vai lançar novo HR-V em 2 de agosto

Com produção em Itirapina (SP), o novo HR-V chegará com visual completamente novo. As linhas são mais retas que no modelo anterior. Mudou pouco em relação ao conceito e:concept, de 2020. Assim, mede 4,32 m de comprimento e 2,61 m de entre-eixos. Afinal, a ideia é se manter distante do CR-V e abrir espaço para o ZR-V, SUV do Civic (foto abaixo). Este virá para brigar pelo segmento de médios em meados de 2023, contra Jeep Compass, Toyota Corolla Cross, Volkswagen Taos e Chery Tiggo 7 ProChevrolet Equinox, entre


Aposta forte


A segunda geração do HR-V promete ser mais que uma nova opção. O SUV quer revolucionar a categoria. Desse modo, contará com um robusto pacote tecnológico. A começar pelo Honda Sensing, que disponibiliza controle de cruzeiro adaptativo, frenagem automática de emergência e os alertas de correção de faixa e de ponto cego.


Espelhamento sem fio com Android Auto e Apple CarPlay na tela central de 8" também faz parte das novidades. E não é só. Conforme antecipamos no Jornal do Carro, o SUV será o primeiro veículo nacional conectado da fabricante japonesa.


Dessa forma, vai estrear o sistema My Honda Connect. Nele, Wi-Fi nativo e aplicativo para smartphones com comandos remotos e acesso de dados ficarão disponíveis. Assim, basta abrir o celular para realizar ações como verificar a autonomia de combustível ou mesmo dar partida no motor e acionar o ar-condicionado para climatizar a cabine.


 


Por falar em motor, o Honda HR-V terá duas opções na gama. Com quatro versões de acabamento, terá na entrada o 1.5 DI flexível com injeção direta de combustível, 126 cv e 15,5 mkgf de torque - o mesmo dos novos City hatch e sedã. E no topo o 1.5 turbo.


1.5 turbo mais potente


Este último, portanto, já equipava a geração anterior do HR-V, mas o colocará para duelar até com rivais maiores, como Compass e Corolla Cross, por exemplo. O 1.5 turbo virá flexível, com mais potência por causa do uso de etanol. Assim, deve manter 173 cv e 22,4 mkgf com gasolina, e chegar a 177 cv e 24,4 mkgf com o derivado da cana-de-açúcar.


Por fim, os dois motores terão câmbio automático CVT, com trocas de marchas (simuladas) nos paddle shifts. Com tanta inovação, espera-se que os preços partam de, aproximadamente, R$ 125 mil. Ou seja, logo acima das versões de topo do novo City.

 

  • Fonte: Jornal do Carro /
  • Autor: Vagner Aquino /
  • Data: 11 junho 2022
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS