Conceitos que estarão no Salão do Automóvel

Com desenho provocante, soluções criativas ou mesmo um olhar novo sobre produtos já conhecidos, esses conceitos ajudam a garantir o interesse do público mesmo nos anos em que a marca não promoveu grandes atualizações em sua gama.


Na edição deste ano, um dos destaques da Hyundai é o conceito Saga EV. Trata-se do protótipo de um SUV compacto urbano 100% elétrico, com desenho assinado pelo estúdio de design da marca na Califórnia (EUA). O porte é menor que o do Creta.


De acordo com a Hyundai, o veículo reflete o futuro da mobilidade na visão da montadora. A ideia é atender a crescente demanda de consumidores jovens que procuram, ao mesmo tempo, um veículo robusto, prático e ambientalmente correto.


O modelo tem traços que seguem a nova filosofia de design da marca, denominada “esportividade sensual”, presente em seus últimos lançamentos. É possível que alguns traços do Saga apareçam na próxima geração do HB20.


Já a principal atração do estande da Fiat é um SUV com carroceria cupê derivado da picape Toro. A linha de cintura é alta e o caimento do teto é suave. A traseira tem jeitão esportivo.


Não dá para saber, ainda, se o porte desse SUV é comparável ao do Jeep Compass ou menor. Aliás, a Fiat já estuda há algum tempo a possibilidade de fazer um utilitário derivado da Toro. E hesita justamente por medo de canibalizar o produto da “irmã” Jeep.


Picape da Volkswagen


Já no espaço da Volkswagen, o conceito mais importante antecipa como será a nova picape compacta com cabine dupla que a marca lançará em 2020. Baseado na plataforma MQB, a mesma de Polo, Golf e Tiguan, o modelo terá tração nas quatro rodas e porte menor que o da Amarok. Sua principal rival tem nome e sobrenome: é a Fiat Toro.


Segundo a própria marca, o modelo final será muito parecido com o conceito. Ele mescla elementos de um SUV com a versatilidade de uma picape, com foco no uso urbano.


O mais provável é que o modelo use motores flexíveis a gasolina com turbo, como o 1.4 que equipa o Golf e estará no T-Cross. Se houver uma versão a diesel, como na Toro, é possível que ela use um 2.0 turbo de cerca de 150 cv que equipa modelos como o Tiguan na Europa.


Mais simples


Como em todo Salão, há ainda conceitos bem mais simples. São versões de carros já em produção, customizadas pela própria montadora apenas para a aparição na feira. Eles têm pintura, acessórios e acabamento exclusivos. E nenhum compromisso de algum dia chegarem às concessionárias.


O Nissan Kicks Rhythm traz um sistema de som desenvolvido especialmente para o modelo, capaz de transformar a cabine em uma sala de cinema. Há alto-falantes instalados nos encostos de cabeça dianteiros e nas colunas dianteiras, além de subwoofer no porta-malas.


Partes do para-choque, grade, maçanetas e soleiras de porta são pintadas num tom forte de azul. A carroceria é cinza.


Já o Creta Diamond é um exercício do time de design da Hyundai no Brasil. Baseado na versão de topo Prestige, ele traz um reforço nos itens de conforto, com mais de 200 peças modificadas.


A carroceria ganhou um novo tom de azul e a cabine tem bancos de couro claro, nas cores branco e caramelo. Há ainda um inédito teto solar elétrico, item não disponível em nenhuma versão atual do Creta.

  • Fonte: Estadao /
  • Autor: Redacao /
  • Data: 05 novembro 2018
COMPARTILHE
NAS REDES SOCIAIS

MAIS NOTÍCIAS